Frame Colectivo

Frame Colectivo é um atelier de arquitectura sediado em Lisboa que explora a intersecção entre arquitectura, urbanismo e arte em colaborações interdisciplinares. Desde 2013 dedicamos a nossa pesquisa a espaços urbanos públicos e semi-públicos, onde implementamos projectos colectivos contextualizados. Desenhamos intervenções com o intuito de questionar micropolíticas urbanas dominantes e promover a participação cidadã. Colaboramos com artistas regularmente para desenvolver novas metodologias de comunicação horizontal no âmbito da arquitectura.
Direcção artística:
Agapi Dimitriadou
Gabriela Salazar

Equipa:
Ana Sophie Salazar
Daniel Asproiu
Sara Coutinho
Sofia Sousa

Colaboradores passados:
Adrián Fernandez
Adriana Ferreira Gil
Alva Moca
André Cid
Anna de Giorgi
Annie Churdar
Ara Orozco
Beatriz Rinaldi
Camilla Van Baarsel
Caroline Rivollet
Catarina Toipa
Chucho Nieto
Cristina Peixoto
Inês Coimbra
João Brito
Kaylee Brent
Lavinia Patrascu
Manon Lévêque
Margherita Tezza
Maria Berze
Matias Romano
Rita Menichini
Rui Sampaio
Sara Palácios
Sara Vieira
Tudor Ciuculescu
Valentina Comuzzi

Proximidade

Organizamos oficinas de longa duração durante as quais a nossa equipa vive e trabalha nas proximidades do espaço de intervenção, seguindo a lógica da residência artística. Através da presença contínua, visamos estabelecer um canal de comunicação próximo com a população. Uma antiga carrinha de bombeiros, a nossa plataforma de suporte, fornece um ponto de encontro inicial onde se gera uma troca de ideias construtiva.

Compreender o Território

Desenvolvemos métodos participativos de mapeamento e leitura de território. As abordagens provenientes da arquitectura e do urbanismo apresentam resultados de rigor técnico, os quais complementamos com diversas metodologias provenientes da antropologia visual, baseadas em entrevistas, passeios e documentação vídeo e áudio. Desta forma obtemos uma compreensão abrangente da complexidade social da zona.

Construção Colectiva

O nosso processo de criação de novos espaços passa pela construção colectiva. Acreditamos que a partilha de conhecimentos e competências entre todos os participantes enriquece o trabalho criando resultados inspiradores e estimulando narrativas alternativas para o território urbano em causa.

Frame Colectivo Timeline

Janeiro
2016

Frame Lab

Móveis para espaços públicos ou privados, estruturas expositivas, cenografia para performances… Agora já temos o espaço perfeito para os pensar, desenvolver, experimentar e construir – o Frame Lab está finalmente pronto para todo o novo trabalho de carpintaria que temos pela frente!

Dezembro
2015

Festival TODOS

A transformação poética e alegre de um jardim público numa sala de estar. Foi um prazer enorme realizar um workshop de carpintaria aberto no meio do Campo Santana, construindo móveis para uma sala de estar a céu aberto e ver as nossas estruturas a serem utilizadas imediatamente pelos visitantes. Um grande obrigada à equipa do Festival TODOS e a todas as pessoas que participaram!

 
Fevereiro

Performapping na Penha

Em Fevereiro 2015, encontrámos finalmente o espaço ideal para o nosso escritório: o Espaço da Penha, uma antiga garagem transformada num co-working onde estão sediados o Rumo do Fumo, o Forum Dança e outras associações culturais. Após organizar intervenções participativas em espaços públicos pelo nosso novo bairro, convidámos velhos e novos amigos à nossa exposição interactiva “Performapping” para celebrar o espaço que habitamos e aprofundar a nossa percepção da sua vida quotidiana.

Julho
2014

Pátio em Construção

Alguns espaços urbanos possuem uma atracção especial para nós. Desde o início que o Pátio Dom Fradique revelou ser um desses lugares magnéticos. No Verão de 2014, co-curámos um programa cultural que incluiu teatro de rua, workshops e cinema ao ar livre. Que espaço fascinante e maravilhoso!
Junho

Workshop de Construção na Trafaria

A nossa primeira colaboração com um workshop de construção em Portugal foi uma experiência fantástica. Organizado pela EDA e a junta de freguesia, a equipa trabalhou arduamente e sem repouso durante todo o processo de construção da nova biblioteca pública da Trafaria, continuando até hoje a enchê-la de vida todos os dias. Estamos orgulhosos de ter feito parte deste projecto maravilhoso desde o seu início!
Novembro
2013

Pátio Ambulante vence Orçamento Participativo

Aconteceu! O nosso projecto-piloto Pátio Ambulante foi um dos vencedores do Orçamento Participativo de Lisboa 2013. Um enorme obrigada a todas as pessoas que colaboraram, partilharam a sua arte, enriqueceram os nossos eventos e votaram em nós! O projecto será financiado até à Primavera 2017. Venham espreitar!
 
Março

Bolsa Crisis Buster da Trienal de Arquitectura de Lisboa

Em plena crise financeira europeia, a Trienal 2013 convidou o público e os participantes a repensar a cidade de Lisboa através de estratégias de intervenções em pequena-escala. Candidatámo-nos a uma bolsa Crisis Buster com o projecto Pátio Ambulante. Este inspira-se na tipologia do pátio, um espaço cuja função como ponto de encontro se tem vindo a perder. Com o intuito de reverter esse desenvolvimento, pretendemos explorar todo o potencial do pátio como espaço de congregação. Com a bolsa da Trienal, organizámos o nosso primeiro evento no Pátio de São João, transformando um pátio fechado numa praça aberta com quatro dias de programação cultural diversificada.
Julho
2012

Banca Arminius

Aproveitámos uma encomenda da Câmara Municipal de Berlim para criar uma maquete arquitectónica da Arminius Markthalle para criar um catálogo das ideias e opiniões dos habitantes de Moabit. Os convites a reuniões de moradores resultam muitas vezes em pouca comparência e por isso optámos por participar activamente em feiras de rua. Providos da maquete e do nosso recém criado sistema de mapeamento, entrevistámos os transeuntes. O nosso fascínio pela participação na arquitectura fez-nos percorrer um caminho de constante aperfeiçoamento dos processos e de desenvolvimento de novos métodos para pôr em prática.
 
Fevereiro

Frame em Berlim

Tudo começou em Moabit, Berlim. Focámo-nos na Arminius Markthalle, um mercado construído em 1890, e trabalhámos desde um pequeno escritório dentro do edifício investigando processos participativos para a sua revitalização. Aprendemos tanto com a flexibilidade e as possibilidades infinitas da tipologia do mercado, criada com marcos estruturais de ferro fundido, que decidimos integrar a “moldura” como conceito directivo. Assim nasceu o Frame Colectivo!